Engenharia Agrícola e Ambiental - Fatene

Engenharia Agrícola e Ambiental

Engenharia Agrícola e Ambiental

INFORMAÇÕES GERAIS

COORDENADOR

Prof. Dr. Luís de França Camboim Neto
Fone (85) 99666-7405
E:mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

DURAÇÃO DO CURSO

10 semestes / 5 anos

 

TURNOS POR CAMPUS

MANHÃ - Unidade CAUCAIA

 

AVALIAÇÃO DO CURSO

CONCEITO 4 - Portaria 197 de 04/10/2012

Link de acesso no MEC

 

MATRIZ CURRICULAR

 

SOBRE O CURSO

Acompanhando as mudanças ocorridas nos cursos de Engenharia Agrícola nos países mais desenvolvidos (EUA e alguns países da Europa), que melhoraram a formação dos futuros profissionais nas áreas de Engenharia Ambiental, Engenharia Biológica e de Recursos Biológicos, os cursos de Engenharia Agrícola de várias Universidades do País se adequaram à nova realidade e às necessidades do mercado, passando a formar o Engenheiro Agrícola e Ambiental.

O Engenheiro Agrícola, no exercício de suas atividades, está capacitado para atuar como autônomo, ou em empresas e órgãos de caráter público ou privado, trabalhando em pesquisa e ensino técnico ou superior; como profissional liberal atuando em projetos de construções rurais e ambiência, de irrigação e drenagem, nas áreas de água e solo, de máquinas e mecanização agrícola, de sistemas de processamento e armazenagem de produtos agrícolas, instalações agroindustriais, de energização rural, de planejamento físico de propriedades rurais, de saneamento ambiental rural, de gestão dos recursos hídricos, planejamento e preservação de recursos naturais, de manejo, avaliação e mitigação de impactos ambientais de atividades produtivas, de assentamentos rurais, em cooperativas agrícolas, sensoriamento remoto e agrometeorologia, de processos de agronegócio, extensão rural e desenvolvimento sustentável rural, no desenvolvimento, na fabricação e na comercialização de equipamentos afins; pode também trabalhar em cooperativas e instituições financeiras e de consultoria de administração e planejamento da produção agropecuária. Além de apto a atuar nos campos tecnológicos desenvolvidos por órgãos federais, estaduais e municipais, poderá atuar em órgãos internacionais tais como a Organização das Nações Unidas (ONU), Organização de Alimentação e Agricultura (FAO), Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD), Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Organização dos Estados Americanos (OEA), entre outros.

O Curso de Engenharia Agrícola e Ambiental da FATENE tem como missão: formar profissionais com visão humanística, critica e reflexiva, que use a precisão das ciências exatas para trazer soluções ambientais para o campo, conhecendo as relações ambientais de forma socialmente justa, economicamente viável e ambientalmente correta. O curso de Engenharia Agrícola e Ambiental representa a possibilidade de utilização de tecnologias modernas de produção agrícola no âmbito do desenvolvimento sustentável da agricultura, considerando os aspectos econômicos, temporais e éticos, canalizando conhecimentos, atitudes e ações de caráter ecologicamente prudentes, socialmente desejáveis e economicamente eficientes. O Engenheiro Agrícola e Ambiental deve ser pró-ativo conduzindo suas ações para o desenvolvimento pessoal e da comunidade, com base na moral e na ética. Este deve possuir uma visão integrada do desenvolvimento da cadeia sistêmica agrícola, aplicando os conhecimentos das Ciências Exatas na solução de problemas relacionados aos sistemas agrícolas e agroindustriais, incluindo o planejamento e a gestão dos recursos ambientais e o controle de poluição.

A Carga Horária do Curso de Engenharia Agrícola e Ambiental da FATENE totaliza 4.000 horas, com 160 horas de atividades complementares, 200 horas de disciplinas optativas e 160 horas de estágio supervisionado.

O tempo de conclusão do curso será de 5 anos.

 

MERCADO DE TRABALHO / CAMPO DE ATUAÇÃO

O Engenheiro Agrícola e Ambiental, no exercício de suas atividades, está capacitado para atuar como autônomo, ou em empresas e órgãos de caráter público ou privado. Pode atuar na pesquisa e ensino técnico ou superior ou como profissional liberal desenvolvendo projetos de construções rurais e ambiência, de irrigação e drenagem, nas áreas de água e solo, de máquinas e mecanização agrícola, de sistemas de processamento e armazenagem de produtos agrícolas. Sua formação ainda possibilita atuar em projetos de instalações agroindustriais, de energização rural, de planejamento físico de propriedades rurais, de saneamento ambiental rural.

O Engenheiro Agrícola e Ambiental pode ainda atuar na gestão dos recursos hídricos, planejamento e preservação de recursos naturais, de manejo, avaliação e mitigação de impactos ambientais de atividades produtivas, de assentamentos rurais, em cooperativas agrícolas, sensoriamento remoto e agrometeorologia, de processos de agronegócio, extensão rural e desenvolvimento sustentável rural, no desenvolvimento, na fabricação e na comercialização de equipamentos afins. Pode ainda trabalhar em cooperativas e instituições financeiras e de consultoria de administração e planejamento da produção agropecuária.

Isso além de estar apto a atuar nos campos tecnológicos desenvolvidos por órgãos federais, estaduais e municipais, poderá atuar em órgãos internacionais tais como a Organização das Nações Unidas (ONU), Organização de Alimentação e Agricultura (FAO), Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD), Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Organização dos Estados Americanos (OEA), entre outros.

 

PERFIL DO FORMANDO

O Curso de Engenharia Agrícola e Ambiental deverá garantir uma formação profissional cujos conhecimentos, habilidades, atitudes e valores que sejam aplicados de maneira segura e responsável, seguindo as tendências mundiais, nacionais e regionais de desenvolvimento sustentável da agricultura.

O Engenheiro Agrícola e Ambiental deve ser pró-ativo conduzindo suas ações para o desenvolvimento pessoal e da comunidade, com base na moral e na ética. Este deve possuir uma visão integrada do desenvolvimento da cadeia sistêmica agrícola, aplicando os conhecimentos das Ciências Exatas na solução de problemas relacionados aos sistemas agrícolas e agroindustriais, incluindo o planejamento e a gestão dos recursos ambientais e o controle de poluição.

O exercício da modalidade profissional está em processo de regulamentação junto ao sistema CONFEA/CREA e refere-se à aplicação, num contexto de desenvolvimento sustentável, de conhecimentos científicos e tecnológicos necessários ao avanço da ciência e à solução de problemas relacionados a sistemas agrícolas, agroindustriais e ao controle da poluição. Tais conhecimentos envolvem energia, transporte, sistemas estruturais e equipamentos, solos e água, construções rurais e ambiência, eletrificação, máquinas e implementos agrícolas, agricultura de precisão, processamento e armazenamento de produtos agrícolas, tratamento de resíduos e saneamento.

O curso capacita o profissional para:

  • analisar a susceptibilidade e as vocações, drenagem, controle de erosão, tratamento de resíduos e saneamento, naturais do ambiente, com base em princípios de conservação da biodiversidade e capacidade de uso de solos;
  • exercer atividades relacionadas à concepção, projeto e construção de obras e estruturas para sistemas agrícolas e agroindustriais, dentro dos princípios de ambiência adequada e de conservação do meio ambiente;
  • otimizar, com base no desenvolvimento sustentável, o uso dos recursos solo e água e a conservação destes em empreendimentos agropecuários e agroindustriais, por intermédio de projetos de hidrologia, obras hidráulicas e irrigação;
  • elaborar, modificar e executar projetos de máquinas e equipamentos agrícolas, para otimizar o uso de energia e a conservação do sistema solo-água-planta, além de administrar frota de máquinas e implementos agrícolas
  • administrar o sistema de produção agrícola utilizando conceitos de agricultura de precisão, visando à otimização do uso dos insumos agrícolas e a minimização dos efeitos advindos da produção agrícola no ambiente;
  • elaborar, modificar e executar projetos de instalações elétricas rurais;
  • elaborar projetos de unidades armazenadoras visando o pré-processamento e o processamento de produtos agrícolas;
  • racionalizar o uso de energia em processos agrícolas;
  • administrar unidades armazenadoras e agroindustriais;
  • propor, implementar e monitorar ações direcionadas à conservação, ao planejamento e à gestão dos recursos hídricos e ambientais;
  • elaborar estudos e relatórios de impacto ambiental (EIA/RIMA), visando a gestão racional dos recursos naturais no âmbito de projetos de irrigação, agricultura intensiva, saneamento, disposição e tratamento de resíduos, dentre outros;
  • planejar e gerir atividades relacionadas à comercialização dos produtos agrícolas. 

 

HABILIDADES DESENVOLVIDAS PELO PROFISSIONAL

O currículo do Curso de Engenharia Agrícola e Ambiental deverá dar condições a seus egressos para adquirir competências e habilidades para:

  • estudar a viabilidade técnica econômica, planejar, projetar e especificar, supervisionar, coordenar e orientar tecnicamente;
  • realizar assistência, assessoria e consultoria;
  • dirigir empresas, execução e fiscalização de serviços técnicos correlatos;
  • realizar vistoria, perícia, avaliação, arbitramento, laudo e parecer técnicos;
  • desempenhar cargo e função técnica;
  • promover a padronização, mensuração e controle de qualidade;
  • atuar em atividades docentes no ensino técnico e superior, pesquisa, análise, experimentação, ensaios e divulgação técnica e extensão;
  • conhecer e compreender os fatores de produção e combiná-los com eficiência técnica e econômica;
  • aplicar conhecimentos científicos e tecnológicos;
  • conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos;
  • identificar problemas e propor soluções;
  • desenvolver e utilizar novas tecnologias;
  • gerenciar, operar e manter sistemas e processos;
  • comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica;
  • atuar em equipes multidisciplinares;
  • avaliar o impacto das atividades profissionais no contexto social, ambiental e econômico;
  • conhecer e atuar em mercados do complexo agro-industrial e do agronegócio;
  • compreender e atuar na organização e gerenciamento empresarial e comunitário;
  • atuar com espírito empreendedor;
  • conhecer, interagir e influenciar nos processos decisórios de agentes e instituições, na gestão de políticas setoriais. 

 

CORPO DOCENTE

 

PESQUISA

A pesquisa está sendo desenvolvida em duas comunidades quilombolas, denominadas: Cercadão dos Dicetas e Associação dos Quilombolas de Capuan, localizadas em Icaraí e Capuan respectivamente.

Grupo de Pesquisa tem como tema: Cultivando saúde e sabores com responsabilidade socioambiental

Participantes e função no Projeto:

ALAN DINIZ LIMA - Desenvolver atividades pertinentes ao manejo de irrigação, desde a montagem do sistema de irrigação até a quantificação da demanda hídrica das culturas individualmente, com ênfase em aulas de campo direcionadas aos estudantes de Engenharia Agrícola e Ambiental e aos moradores da comunidade.

JOSE BRUNO REGO DE MESQUITA - O plano de trabalho consiste em produzir ervas medicinais e oferece-las no mercado como produtos naturais populares, juntamente como a orientação de como utilizá-los. Aumentar a renda da agricultura familiar por meio da produção de alimentos.

LÚCIA DE FÁTIMA SOUSA SILVEIRA - Reconhecer os conhecimentos populares da comunidade sobre o assunto; Fazer um levantamento das plantas medicinais existentes na comunidade; Repassar a forma correta de manipular as plantas medicinais na confecção de chás, compressas, xaropes. etc; Estimular o uso somente de plantas medicinais cientificamente comprovadas para determinadas doenças; Conscientizar à comunidade quanto à dosagem correta; Envolver os alunos nesse processo de conhecimentos práticos, bem como o envolvimento com a comunidade.

LUÍS DE FRANÇA CAMBOIM NETO - Orientar os moradores da comunidade na prática de cultivos auto-sustentáveis tendo como ênfase principal a agricultura orgânica. Capacitar alunos do curso de Graduação em Engenharia Agrícola e Ambiental da Fatene a executarem projetos visando a conscientização social e ambiental, bem como capacitar a comunidade para a sustentabilidade.

 

PPC E NDE

O NDE é formado pelos seguintes professores:

  • Prof. Dr. Alan Diniz Lima
  • Profa. Dra. Antônia Gislaine Brito Marques Albuquerque
  • Profa. Dra. Inez Gifone Maia Sales
  • Prof. Dr. Luís de França Camboim Neto (NDE)
  • Prof. Ms. Lúcia de Fátima Sousa Silveira

 

 


compartilhe:

Top