Engenharia Agrícola e Ambiental

Engenharia Agrícola e Ambiental

Apresentação do Coordenador

Prof. Dr. Luís de França Camboim Neto

Telefone: (85) 9666-7405
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Avaliações do Curso

Conceito 4

Corpo Docente

PROFESSORES

TITULAÇÃO

DEDICAÇÃO A IES

  1. Alan Diniz Lima

Mestre

Integral

  1. Ana Paula Bezerra de Araújo

Mestre

Integral

  1. André Henrique Pinheiro Albuquerque

Doutor

Integral

  1. Antônia Gislaine Brito Marques Albuquerque

Mestre

Integral

  1. Arilsom Martins do Nascimento

Mestre

Integral

  1. . Edenise Mônica Puerari

Doutorado

Integral

  1. Evandro do Nascimento Silva

Pós Doutorado

Integral

  1. Eveline Viana Salgado

Doutorado

Parcial

  1. Francisco Leandro Barbosa de Silva

Mestre

Integral

  1. Inêz Gifone Maia Sales

Doutora

Integral

  1. José Bruno Rego de Mesquita

Doutor

Integral

  1. Karla Lúcia Batista Araújo

Mestrado

Parcial

  1. Lúcia de Fátima Sousa Silveira

Mestre

Parcial

  1. Luís de França Camboim Neto

Doutor

Integral

  1. Luiz Antônio Alves dos Santos

Mestre

Integral

  1. Luiz Carlos Guerreiro

Mestrado

Integral

  1. Maria da Conceição Reis Silva

Mestre

Integral

  1. Ygor Raphael Gomes Eloi

Pós Doutor

Parcial

Finalidade do Curso e Objetivos

O curso de Engenharia Agrícola e Ambiental da FATENE representa a possibilidade de utilização de tecnologias modernas de produção agrícola no âmbito do desenvolvimento sustentável da agricultura, considerando os aspectos econômicos, temporais e éticos, canalizando conhecimentos, atitudes e ações de caráter ecologicamente prudentes, socialmente desejáveis e economicamente eficientes.

Específicos

  • Estimular o desenvolvimento do pensamento reflexivo do aluno, aperfeiçoando suas capacidades investigativa, inventiva e solucionadora de problemas.
  • Estimular o desenvolvimento humano do aluno, fazendo-o compreender, desde cedo, a importância do exercício profissional como instrumento de promoção de transformações sociais, políticas, econômicas, culturais e ambientais.
  • Exercitar a autonomia no aprender, buscando constantemente o aprimoramento profissional por intermédio da educação continuada.
  • Desenvolver sua habilidade de expressão e comunicação em público.
  • Aprimorar sua capacidade de trabalhar em equipe, desenvolvendo o relacionamento interpessoal e exercitando a cooperação.
  • Aprimorar valores éticos e humanísticos essenciais para o exercício profissional tais como a solidariedade, respeito à vida humana, convivência com a pluralidade e a diversidade de pensamento.
  • Estimular a investigação científico-tecnológica por meio de iniciação científica.
  • Enfatizar a importância dos aspectos ambientais, conscientizando para prática profissional focada no desenvolvimento sustentável.
  • Dotar o discente de visão sistêmica a fim de formar um profissional capacitado para solucionar problemas de engenharia nos setores agropecuário e agroindustrial, tanto em micro quanto em macro escala.
  • Despertar o espírito empreendedor do discente, estimulando-o a participar da geração de soluções inovadoras no âmbito da Engenharia Agrícola e Ambiental e o desenvolvimento de uma visão crítica para a percepção de oportunidades de negócios.
  • Proporcionar a formação de um profissional que possa atuar em atividades de ensino, pesquisa e extensão.
  • Estimular o aprendizado dos procedimentos e das técnicas e o manuseio apropriado dos recursos tecnológicos aplicados na prática profissional.
  • Estimular o relacionamento com empresas dos diversos segmentos de atuação do Engenheiro Agrícola e Ambiental, por intermédio de estágios e consultorias.
  • Reconhecer as possibilidades e os limites da sua prática profissional.

Habilidades desenvolvidas pelos profissionais da área

O currículo do Curso de Engenharia Agrícola e Ambiental dá condições a seus egressos para adquirir competências e habilidades para:

  • Estudar a viabilidade técnica econômica, planejar, projetar e especificar, supervisionar, coordenar e orientar tecnicamente.
  • Realizar assistência, assessoria e consultoria.
  • Dirigir empresas, execução e fiscalização de serviços técnicos correlatos.
  • Realizar vistoria, perícia, avaliação, arbitramento, laudo e parecer técnicos.
  • Desempenhar cargo e função técnica.
  • Promover a padronização, mensuração e controle de qualidade.
  • Atuar em atividades docentes no ensino técnico e superior, pesquisa, análise, experimentação, ensaios e divulgação técnica e extensão.
  • Conhecer e compreender os fatores de produção e combiná-los com eficiência técnica e econômica.
  • Aplicar conhecimentos científicos e tecnológicos.
  • Conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos.
  • Identificar problemas e propor soluções.
  • Desenvolver e utilizar novas tecnologias.
  • Gerenciar, operar e manter sistemas e processos.
  • Comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica.
  • Atuar em equipes multidisciplinares.
  • Avaliar o impacto das atividades profissionais no contexto social, ambiental e econômico.
  • Conhecer e atuar em mercados do complexo agro-industrial e do agronegócio.
  • Compreender e atuar na organização e gerenciamento empresarial e comunitário.
  • Atuar com espírito empreendedor.
  • Conhecer, interagir e influenciar nos processos decisórios de agentes e instituições, na gestão de políticas setoriais.

Histórias de Sucesso do Curso

O curso tem parceria com a ONG Enactus que desenvolve projetos socioambientais com empresas na área. O curso conseguiu ser aprovado na seleção de projetos para participar do Campeonato da NUFAR em 2014. Entre as IES do Ceará o mesmo foi classificado em 3º lugar com o projeto.

Matriz Curricular

Clique aqui para fazer o download da Matriz Curricular

Mercado de Trabalho e campos de atuação do profissional da área

O Engenheiro Agrícola e Ambiental, no exercício de suas atividades, está capacitado para atuar como autônomo, ou em empresas e órgãos de caráter público ou privado.

O Engenheiro Agrícola e Ambiental pode atuar na pesquisa e ensino técnico ou superior. Pode atuar também como profissional liberal desenvolvendo projetos de construções rurais e ambiência, de irrigação e drenagem, nas áreas de água e solo, de máquinas e mecanização agrícola, de sistemas de processamento e armazenagem de produtos agrícolas. Sua formação ainda possibilita atuar em projetos de instalações agroindustriais, de energização rural, de planejamento físico de propriedades rurais, de saneamento ambiental rural.

O Engenheiro Agrícola e Ambiental pode ainda atuar na gestão dos recursos hídricos, planejamento e preservação de recursos naturais, de manejo, avaliação e mitigação de impactos ambientais de atividades produtivas, de assentamentos rurais, em cooperativas agrícolas, sensoriamento remoto e agrometeorologia, de processos de agronegócio, extensão rural e desenvolvimento sustentável rural, no desenvolvimento, na fabricação e na comercialização de equipamentos afins.

O Engenheiro Agrícola e Ambiental pode também trabalhar em cooperativas e instituições financeiras e de consultoria de administração e planejamento da produção agropecuária.

O Engenheiro Agrícola e Ambiental além de apto a atuar nos campos tecnológicos desenvolvidos por órgãos federais, estaduais e municipais, poderá atuar em órgãos internacionais tais como a Organização das Nações Unidas (ONU), Organização de Alimentação e Agricultura (FAO), Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD), Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Organização dos Estados Americanos (OEA), entre outros.

Palavras do Coordenador

Acompanhando as mudanças ocorridas nos cursos de Engenharia Agrícola nos países mais desenvolvidos (EUA e alguns países da Europa), que melhoraram a formação dos profissionais nas áreas de Engenharia Ambiental, Engenharia Biológica e de Recursos Biológicos, os cursos de Engenharia Agrícola de várias universidades do país se adequaram à nova realidade e às necessidades do mercado, passando a formar o Engenheiro Agrícola e Ambiental.

O Engenheiro Agrícola, no exercício de suas atividades, está capacitado para atuar como autônomo, ou em empresas e órgãos de caráter público ou privado, trabalhando em pesquisa e ensino técnico ou superior; como profissional liberal atuando em projetos de construções rurais e ambiência, de irrigação e drenagem, nas áreas de água e solo, de máquinas e mecanização agrícola, de sistemas de processamento e armazenagem de produtos agrícolas, instalações agroindustriais, de energização rural, de planejamento físico de propriedades rurais, de saneamento ambiental rural, de gestão dos recursos hídricos, planejamento e preservação de recursos naturais, de manejo, avaliação e mitigação de impactos ambientais de atividades produtivas, de assentamentos rurais, em cooperativas agrícolas, sensoriamento remoto e agrometeorologia, de processos de agronegócio, extensão rural e desenvolvimento sustentável rural, no desenvolvimento, na fabricação e na comercialização de equipamentos afins; pode também trabalhar em cooperativas e instituições financeiras e de consultoria de administração e planejamento da produção agropecuária.

Além de estar apto a atuar nos campos tecnológicos desenvolvidos por órgãos federais, estaduais e municipais, também poderá atuar em órgãos internacionais tais como a Organização das Nações Unidas (ONU), Organização de Alimentação e Agricultura (FAO), Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD), Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Organização dos Estados Americanos (OEA), entre outros.

O Curso de Engenharia Agrícola e Ambiental da FATENE tem como missão: formar profissionais com visão humanística, crítica e reflexiva, que use a precisão das ciências exatas para trazer soluções ambientais para o campo, conhecendo as relações ambientais de forma socialmente justa, economicamente viável e ambientalmente correta. O curso de Engenharia Agrícola e Ambiental representa a possibilidade de utilização de tecnologias modernas de produção agrícola no âmbito do desenvolvimento sustentável da agricultura, considerando os aspectos econômicos, temporais e éticos, canalizando conhecimentos, atitudes e ações de caráter ecologicamente prudentes, socialmente desejáveis e economicamente eficientes.

O Engenheiro Agrícola e Ambiental deve ser proativo conduzindo suas ações para o desenvolvimento pessoal e da comunidade, com base na moral e na ética. Este deve possuir uma visão integrada do desenvolvimento da cadeia sistêmica agrícola, aplicando os conhecimentos das ciências exatas na solução de problemas relacionados aos sistemas agrícolas e agroindustriais, incluindo o planejamento e a gestão dos recursos ambientais e o controle de poluição.

A Carga Horária do Curso de Engenharia Agrícola e Ambiental da FATENE totaliza 4.000 horas, com 160 horas de atividades complementares, 200 horas de disciplinas optativas e 160 horas de estágio supervisionado. O tempo de conclusão do curso será de 5 anos.

Perfil Profissional do Egresso

O Curso de Engenharia Agrícola e Ambiental garante uma formação profissional cujos conhecimentos, habilidades, atitudes e valores que sejam aplicados de maneira segura e responsável, seguindo as tendências mundiais, nacionais e regionais de desenvolvimento sustentável da agricultura.

O Engenheiro Agrícola e Ambiental deve ser proativo conduzindo suas ações para o desenvolvimento pessoal e da comunidade, com base na moral e na ética. Este deve possuir uma visão integrada do desenvolvimento da cadeia sistêmica agrícola, aplicando os conhecimentos das ciências exatas na solução de problemas relacionados aos sistemas agrícolas e agroindustriais, incluindo o planejamento e a gestão dos recursos ambientais e o controle de poluição.

O exercício da modalidade profissional está em processo de regulamentação junto ao sistema CONFEA/CREA e refere-se à aplicação, num contexto de desenvolvimento sustentável, de conhecimentos científicos e tecnológicos necessários ao avanço da ciência e à solução de problemas relacionados a sistemas agrícolas, agroindustriais e ao controle da poluição. Tais conhecimentos envolvem energia, transporte, sistemas estruturais e equipamentos, solos e água, construções rurais e ambiência, eletrificação, máquinas e implementos agrícolas, agricultura de precisão, processamento e armazenamento de produtos agrícolas, tratamento de resíduos e saneamento.

O curso capacita o profissional para:

  • Analisar a susceptibilidade e as vocações, drenagem, controle de erosão, tratamento de resíduos e saneamento, naturais do ambiente, com base em princípios de conservação da biodiversidade e capacidade de uso de solos.
  • Exercer atividades relacionadas à concepção, projeto e construção de obras e estruturas para sistemas agrícolas e agroindustriais, dentro dos princípios de ambiência adequada e de conservação do meio ambiente.
  • Otimizar, com base no desenvolvimento sustentável, o uso dos recursos solo e água e a conservação destes em empreendimentos agropecuários e agroindustriais, por intermédio de projetos de hidrologia, obras hidráulicas e irrigação.
  • Elaborar, modificar e executar projetos de máquinas e equipamentos agrícolas, para otimizar o uso de energia e a conservação do sistema solo-água-planta, além de administrar frota de máquinas e implementos agrícolas.
  • Administrar o sistema de produção agrícola utilizando conceitos de agricultura de precisão, visando à otimização do uso dos insumos agrícolas e a minimização dos efeitos advindos da produção agrícola no ambiente.
  • Elaborar, modificar e executar projetos de instalações elétricas rurais.
  • Elaborar projetos de unidades armazenadoras visando o pré-processamento e o processamento de produtos agrícolas.
  • Racionalizar o uso de energia em processos agrícolas.
  • Administrar unidades armazenadoras e agroindustriais.
  • Propor, implementar e monitorar ações direcionadas à conservação, ao planejamento e à gestão dos recursos hídricos e ambientais.
  • Elaborar estudos e relatórios de impacto ambiental (EIA/RIMA), visando a gestão racional dos recursos naturais no âmbito de projetos de irrigação, agricultura intensiva, saneamento, disposição e tratamento de resíduos, dentre outros.
  • Planejar e gerir atividades relacionadas à comercialização dos produtos agrícolas.

A pesquisa está sendo desenvolvida em duas comunidades quilombolas denominadas: Cercadão dos Dicetas e Associação dos Quilombolas de Capuan, localizadas em Icaraí e Capuan, respectivamente. O Grupo de Pesquisa tem como tema: Cultivando saúde e sabores com responsabilidade socioambiental.

Participantes

Alan Diniz Lima

Desenvolver atividades pertinentes ao manejo de irrigação, desde a montagem do sistema de irrigação até a quantificação da demanda hídrica das culturas individualmente, com ênfase em aulas de campo direcionadas aos estudantes de Engenharia Agrícola e Ambiental e aos moradores da comunidade.

José Bruno Rego de Mesquita

O plano de trabalho consiste em produzir ervas medicinais e oferecê-las no mercado como produtos naturais populares, juntamente como a orientação de como utilizá-los. 

Lúcia de Fátima Sousa Silveira

-Reconhecer os conhecimentos populares da comunidade sobre o assunto;
-Fazer um levantamento das plantas medicinais existentes na comunidade;
-Repassar a forma correta de manipular as plantas medicinais na confecção de chás, compressas, xaropes. etc.
-Estimular o uso somente de plantas medicinais cientificamente comprovadas como eficientes para o combate de determinadas doenças.
-Conscientizar a comunidade quanto à dosagem correta.
-Envolver os alunos nesse processo de obtenção e partilha de conhecimentos práticos através da interação com a comunidade.

Luís de França Camboim Neto

Orientar os moradores da comunidade na prática de cultivos autossustentáveis tendo como ênfase principal a agricultura orgânica. Capacitar alunos do curso de Graduação em Engenharia Agrícola e Ambiental da Fatene a executarem projetos visando à conscientização social e ambiental, bem como capacitar a comunidade para a sustentabilidade.

Evandro Nascimento da Silva

-Produzir o composto orgânico na comunidade
-Elaborar calendário de adubação orgânica para cada cultura
-Acompanhar os cultivos de hortaliças e plantas medicinais com relação à nutrição

PPC e NDE

O NDE é formado pelos seguintes professores:

Alan Diniz Lima
José Bruno Rego de Mesquita
André Henrique Pinheiro Albuquerque
Francisco Leandro Barbosa de Silva
Ygor Raphael Gomes Eloy

Turnos por Campus

O Curso funciona no turno matutino.


compartilhe:

Top